A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO EMOCIONAL DAS CRIANÇAS

Reagimos segundo nossas percepções, que por sua vez resultam em respostas emocionais, as quais estão condicionadas a percepção que os indivíduos têm de si e dos outros, uma vez que as emoções fazem parte da vida de todas as pessoas.

Hoje em dia sabemos que, desde pequenas, as crianças são capazes de sentir todas as emoções de um adulto, só que ainda não sabem como percebê-las, rotulá-las, compreendê-las, nem regulá-las. Tudo isto precisa ser trabalhado e aprendido durante todo o processo de crescimento da criança. Por isso, a educação emocional deve estar presente na criação dos filhos, tanto nas famílias como nas escolas.

O que permite o desenvolvimento de uma consciência emocional é o exercício continuado de tentar descrever as emoções sentidas, expressando-as por meio de palavras e/ou gestos. É fundamental ser capaz de identificar as próprias emoções para entendê-las e para, só depois, conseguir entender as dos outros. Só quando se consegue avaliar com exatidão o que os outros sentem é que se pode reagir de forma solidária. Daí se conclui, portanto, que não se pode pretender ensinar solidariedade, sem antes educar emocionalmente. Quando as crianças não desenvolvem na infância estas habilidades e competências sócio emocionais, podem tornar-se adultos insensíveis e indiferentes à dor e ao sofrimento alheios, inclusive quando estes são causados por si mesmas. Por isso, a educação emocional e a educação de valores são importantes, desde a infância, para promover o desenvolvimento de uma personalidade socialmente equilibrada.

A educação emocional baseia-se na Inteligência Emocional (EI) e se refere a um grupo diferente de habilidades mentais nas quais as pessoas são capazes de:

  • Perceber, avaliar e expressar suas emoções.
  • Usar emoções para facilitar o pensamento.
  • Compreender os antecedentes e as consequências das emoções.
  • Regular as emoções em si mesmo e em outros.

Todas essas habilidades podem e devem ser aprendidas pelas crianças em seu desenvolvimento, no seio familiar e no convívio escolar, a fim de possibilitar três principais aptidões: a capacidade de entender as emoções, a necessidade de ouvir as outras pessoas e ter empatia com suas emoções e, por fim, a aptidão de expressar as emoções produtivamente.

Uma criança que cresceu com base em uma boa educação emocional aumentará sua autoconfiança, será capaz de saber que possui diversas habilidades, aprenderá com os erros, terá boa autoestima, será uma pessoa assertiva, fará boas relações sociais, saberá resolver bem conflitos, será capaz de enfrentar os diversos e diferentes desafios diários e desenvolverá facilidade na comunicação intra e interpessoal.

Reações emocionais inteligentes precisam ser aprendidas com o auxílio de outros e pela prática e exercício continuados, não somente por preceito e instrução verbal. As crianças precisam de modelos, exemplos e de intervenções pedagógicas para aprenderem a lidar com suas próprias emoções. Assim, crianças que vivem em um ambiente onde seus pais, seus avós e a escola estão muito conscientes da importância da educação emocional, como base para qualquer aprendizagem social e acadêmica, possuirão grandes chances de desenvolverem habilidades que os permitam viver, com sucesso, na sociedade. Para tal, sugerimos as seguintes estratégias, a fim de facilitar esse processo:

  • Tenha em conta as emoções e opiniões das crianças desde o primeiro momento.
  • Dê opções para que as crianças possam tomar suas próprias decisões, mesmo sob a supervisão de um adulto.
  • Seja um bom ouvinte das crianças, desta forma elas se sentirão mais valorizadas;
  • Procure dar bons exemplos, através de seus comportamentos, para as crianças.
  • Promova a autoestima nas crianças, reconhecendo um trabalho bem feito, tecendo elogios, dando-lhes responsabilidades de acordo com cada idade, deixando-as tomar suas próprias decisões, mostrando seus acertos, etc.
  • Respeite as diferenças e compreenda que cada criança tem seus próprios talentos, habilidades e atitudes.

Endereço:

Rua Bolívar, nº 121 - Copacabana
Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22061-010
Telefones:
(21) 3598-1016 / 3598 - 1017